Brasil terá filme sobre impeachment de Dilma no Festival de Berlim

“O Processo”, filme que a documentarista Maria Augusta Ramos fez sobre o processo de impeachment de Dilma Rousseff, terá a sua primeira exibição no Festival de Berlim.

Um dos mais importantes eventos cinematográficos do calendário, a mostra alemã vai de 15 a 25 de fevereiro. O filme de Maria Augusta estará na mostra Panorama, paralela à competição principal.

Diretora dos politizados “Justiça” e “Futuro Junho”, a documentarista brasiliense enfoca em seu novo filme os bastidores do processo que culminou no afastamento da ex-presidente.

Em setembro de 2016, a diretora contou à Folha que bancou o filme com dinheiro do próprio bolso e que enfocou os manifestantes pró e contra impeachment que se aglomeraram em Brasília durante o processo.

Seu filme é um entre pelo menos cinco documentários que tratam do assunto do impeachment.

Nesta edição do Festival de Berlim, o Brasil está representado em vários títulos na mesma mostra Panorama. Além de “O Processo”, há “Aeroporto Central”, de Karim Aïnouz, “Ex-Pajé”, de Luiz Bolognesi, e “Bixa Travesty”, de Claudia Priscilla e Kiko Goifman.

Já na mostra Generation, também paralela à disputa pelo Urso de Ouro, há o filme “Unicórnio”, que toma por base dois contos da escritora campineira Hilda Hilst, dirigido por Eduardo Nunes.

Na competição, o Brasil está representado por “Las Herederas”, uma coprodução entre vários países dirigida pelo paraguaio Marcelo Martinessi.

O carioca José Padilha, com seu “Operação Entebbe”, também está na competição, mas o filme é uma produção entre EUA e Reino Unido.