Filme protagonizado por negros abrirá Festival de Tiradentes

Por guilherme genestreti

Filme imerso na cultura negra do Recôncavo Baiano, o longa ‘Café com Canela’, de Ary Rosa e Glenda Nicácio, foi escolhido para abrir o Festival de Tiradentes, uma das grandes vitrines do cinema brasileiro autoral.

A mostra mineira, que vai de 19 a 27 de janeiro, também prestará homenagem a Babu Santana, ator carioca que está no filme da dupla de diretores baianos e vem traçando carreira na produção nacional desde “Cidade de Deus” (2002), com passagens por títulos como “Estômago” (2007) e pelo papel-título de “Tim Maia” (2014).

‘Café com Canela’, que foi o vencedor do prêmio do público no último Festival de Brasília, é uma peça rara na produção brasileira: protagonizado por atores negros, também conta com direção de uma cineasta negra (Nicácio).

A história gira em torno de Margarida (Valdinéia Soriano), que se isola do mundo após a perda do filho, mas que pode ter a vida balançada com a chegada de Violeta (Aline Brunne), uma ex-aluna.

Neste ano, a temática do festival será as interseções entre o cinema e a realidade. Isso não significa que a programação se restringirá a documentários ou ficções inteiramente inspiradas em fatos, mas abraçará reconstituições, referências à política e outras formas de abordar elementos verídicos no cinema.

O tema pautou a homenagem a Babu, que tem filmografia marcada por personagens realistas, e a seleção de “Café com Canela”, que trata da representatividade de uma minoria.

Cleber Eduardo, que é curador do festival com Lila Foster, diz que há uma “cobrança” para que os filmes nacionais mostrem seu lastro com o mundo fora da sala de cinema e as questões atuais.

O ator Babu Santana em cena de ‘Tim Maia’

Além de “Café com Canela”, a homenagem a Babu em Tiradentes também trará “Uma Onda no Ar” (2002) e o inédito “Bandeira de Retalhos”, de Sérgio Ricardo.

Os demais filmes da programação do festival ainda não foram divulgados.

Na foto no alto, cena de ‘Café com Canela’, de Ary Rosa e Glenda Nicácio (Créditos: Divulgação)