Filme inspirado na Lava Jato segue os passos de Lula

Por guilherme genestreti

Diretor de “Polícia Federal”, filme inspirado na Lava Jato, Marcelo Antunez quis filmar a cena da condução coercitiva do ex-presidente Lula no próprio lugar em que ela se deu: no salão presidencial do aeroporto de Congonhas.

“Tem um peso histórico. O filme ganha muito com esse apoio na realidade”, diz. A cena deve encerrar o longa.

O filme angaria controvérsias que vão além do Fla-Flu político. Com orçamento de R$ 15 milhões, tem investidores secretos (algo incomum) e teve até acesso à carceragem dos réus da Lava Jato.

Estreia em 7 de setembro.

Na foto abaixo, o ator Marcelo Serrado caracterizado como um juiz inspirado em Sergio Moro (Créditos: Ique Esteves/ Divulgação)

 

*

Tsunami “Favela High Tech”, novo longa de Karim Aïnouz (“Praia do Futuro”), foi contemplado com R$ 3 milhões, via Ancine. A produção futurista da Gullane trata de uma brasileira que quer fugir do Japão.

*

Outros monstros Depois de “As Boas Maneiras”, filme de lobisomem que estará no Festival de Locarno, a dupla de diretores Juliana Rojas e Marco Dutra fará um filme de zumbis.

Outros monstros 2 É isso que sugere o título temporário do novo projeto, “Os Zumbis”, que mais uma vez terá produção da Dezenove, de Sara Silveira. A produtora também quer tocar outros filmes solo deles: “A Noite do Vinho”, de Dutra, e “Cidade; Campo”, de Rojas.

*

Quase pronto “O Grande Circo Místico”, de Cacá Diegues, deve ficar pronto em agosto, após um finalização, que envolveu a inclusão de efeitos especiais. Jesuíta Barbosa e Vincent Cassel estão no elenco.

*

Marca histórica Com 142 filmes lançados em 2016, a produção brasileira teve recorde em número de ingressos vendidos: 30,4 milhões, naquele ano, segundo relatório divulgado nesta semana pela Ancine.

Marca histórica 2 O relatório também mostra que, entre os estrangeiros, Disney e Warner abocanharam juntas 42,2% da participação no mercado, graças a títulos como “Capitão América” (Disney) e “Batman vs Superman” (Warner).

*

Brasil pós-junho

As recentes turbulências sociais do Brasil são tema de “Prelúdio da Fúria”, novo documentário do fotógrafo pernambucano Gilvan Barreto.

O diretor parte do trabalho de artistas, músicos e de outros fotógrafos, que fazem um painel de sons e imagens sobre o assunto e invocam a arte como resistência política.

Entre os entrevistados estão Lourival Cuquinha, Virginia de Medeiros, Adelaide Ivánova, Leo Caobelli e Karina Buhr. O filme deriva do projeto “Orquestra Brasileira de Fotografia”, contemplado pelo edital Rumos Itaú Cultural.

O longa vai ser exibido em 17/8, no Itaú Cultural, em SP. Depois da projeção, Gilvan Barreto debate com o público.