Produtor brasileiro de ‘A Bruxa’ toca projetos no Brasil e exterior

Por guilherme genestreti

O produtor brasileiro Rodrigo Teixeira, cujo terror “A Bruxa” levou os prêmios de melhor longa de estreante e de roteiro de estreante no Spirit Awards, terá três longas nacionais rodados em 2017.

São “Alemão 2”, continuação do filme de 2014, “Vida Invisível”, dirigido por Karim Aïnouz, e “Barba Ensopada de Sangue”, inspirado no livro de Daniel Galera. No exterior, o produtor ainda roda “Ad Astra”, com Brad Pitt, e direção de James Gray.

Sobre a vitória no Spirit, maior prêmio do cinema independente, Teixeira afirma que ela servirá para abrir portas ao cinema de gênero.

Anya Taylor-Joy em ‘A Bruxa’, de Robert Eggers (Créditos: Divulgação)

“É uma afirmação. Não sei quando um filme de terror teve essa distinção”, diz ele, que comemora o fato de ter competido em várias categorias com boa parte dos filmes que também foram indicados ao Oscar. “A vitória de ‘Moonlight’ no maior prêmio do cinema é muito boa para a produção independente. Mostra que os filmes não precisam ser caros.”

Nno fim do ano, para aproveitar a temporada das premiações, Teixeira lança “Call me By Your Name”, drama de temática LGBT dirigido por Luca Guadagnino que causou furor em Berlim e Sundance. “Potencial ele tem”, diz o produtor.

*

Pajelança O documentário “O Último Pajé”, de Luiz Bolognesi, foi um dos 11 filmes brasileiros selecionados para exibição aos curadores da Quinzena dos Realizadores e da seleção oficial do Festival de Cannes, que virão ao Brasil neste mês para assistir a eles. A mostra francesa acontece em maio.

Leia mais notas aqui.