Distopia da era Trump move filme da programação do Festival de Berlim

Por guilherme genestreti

O medo da era Trump já assombra as produções americanas da programação do Festival de Berlim, que começa no dia 9/2. É o caso de “Discreet”, de Travis Mathews, anunciado na quarta-feira (25) como um dos selecionados.

“É uma visão distópica da América”, diz o diretor americano à Folha. Mathews dirigiu “I Want Your Love” (2012) e “Interior. Leather. Bar.” (2013), este último com codireção de James Franco.

“Discreet” tem produção do brasileiro João Federici, diretor artístico do festival Mix Brasil, que fará uma ponta no filme. Na trama, “um thriller autoral”, o protagonista (Jonny Mars) é um andarilho que volta à sua cidade natal, no Texas, e revolve parte de um passado sombrio.

Cronista da vida gay, Mathews diz que embutiu no longa temas como o discurso dos supremacistas brancos e a masculinidade agressiva de quem está no poder. “Não há referências a Trump. É mais o espírito da época e de um país que caminha para o totalitarismo. Quero que o filme seja uma arma política.”

*

Capitão Nascimento Jr A Ancine tem uma nova campanha para estimular o consumo de filmes e séries nacionais. Vai ao ar no intervalo de “Meu amigãozão” e “Show da Luna”, do Discovery Kids, e tem narração de Wagner Moura.

*

Garrel pai O Festival Indie 2017, mostra de cinema independente que ocorrerá em setembro em São Paulo, terá uma retrospectiva dos filmes do diretor francês Philippe Garrel, que é pai do ator Louis Garrel.

*

Gustavinho e os Invas (1)
//ALIENS BRASILEIROS Danilo Gentili dubla Gustavinho, um dos meninos da animação nacional ‘Bugigangue no Espaço’, de Ale McHaddo, que estreia em 23 de fevereiro

*

Pedala O documentário “Ciclos”, sobre um grupo de ciclistas em São Paulo, terá sessões gratuitas nas cidades onde há Espaço Itaú de Cinema a partir desta quinta-feira (26).

*

Pedala 2 O filme de Alexandre Charro foi criado e produzido pela Vice, por trás da revista e site de mesmo nome. Será exibido com outro documentário, “Bike vs Carros”.

*

Viaja Vai se chamar “Trumpcália” o novo filme de Daniel Aragão: uma ficção documental com os personagens que o diretor tem encontrado nos EUA e Canadá, por onde tem vagado há mais de um ano.

*

Viaja 2 O título faz referência ao sobrinho, que nasceu no Canadá. “É por causa do momento político e também uma pergunta: ‘quem será esse ser humano que nasceu na América do Norte do Trump, mas que tem as raízes indígenas?”, diz.