‘O Império do Oprimido’, de Guilherme Fiuza, vai virar filme

Por guilherme genestreti

O recém-lançado romance “O Império do Oprimido” (editora Planeta), escrito por Guilherme Fiuza, já fechou contrato com a produtora Yourmama e vai virar filme.

Notório crítico dos governos Lula e Dilma, Fiuza criou uma trama sobre uma jovem rica que trabalha numa ONG, motivada pela eleição do primeiro presidente de esquerda do país. A entidade cresce à medida que aumentam suas ligações com o governo.

A direção e o roteiro ainda não foram definidas, mas a produtora Mayra Auad espera lançar o longa em 2018, para aproveitar a onda da polarização política brasileira.

Créditos da foto: Bruno Poletti/Folhapress

02*

Xingando no Twitter

A jornalista brasileira Ana Maria Bahiana, que faz parte da associação que elege os indicados ao Globo de Ouro, foi ao Twitter reclamar dos eleitos de seus colegas, assim que eles saíram, na última segunda (12).

Em sua “ladainha de irritações” estão as indicações de “Até o Último Homem”, de Mel Gibson, e de “Deadpool”, de Tim Miller.

Em compensação, a jornalista pareceu feliz com um e-mail de agradecimento que diz ter recebido do diretor Damien Chazelle, de “La La Land”. “Que nada, eu é que agradeço”, escreveu. A cerimônia acontece em 8/1.