‘O Mistério do Cinco Estrelas’ vai virar filme

Por guilherme genestreti

Clássico da coleção Vaga-lume, a adaptação de “O Mistério do Cinco Estrelas”, de Marcos Rey, está entre os 34 longas que receberão aportes do Fundo Setorial do Audiovisual, via Ancine.

O suspense de Alex Gabassi é inspirado num dos maiores clássicos do autor paulista, morto em 1999, que conta a história de Leo, mensageiro que encontra um corpo num dos quartos do hotel em que trabalha.  O filme receberá R$ 1,34 milhão em recursos.

Ao todo, serão investidos R$ 40 milhões nos filmes, de 11 Estados. Entre os outros contemplados estão uma cinebiografia do escritor Lima Barreto e um documentário sobre o humorista Mussum.

Também foi contemplada “10 Segundos”, de José Alvarenga Jr., cinebiografia sobre o pugilista Éder Jofre, que tem os atores Daniel de Oliveira e Osmar Prado no elenco.

Fora do  eixo São Paulo-Rio há animação catarinense “Minhocas 2”, o drama gaúcho “Aos Olhos de Ernesto”, sobre um fotógrafo que está perdendo a visão”, e o cearense “Os Escravos de Jó”, que trata do encontro entre um jovem de origem judaica e uma imigrante palestina.

*
Créditos: Divulgação    Legenda: Cena do filme "Tidas as Razões para Esquecer" USO EXCLUSIVO DA COLUNA SEM LEGENDA ***DIREITOS RESERVADOS. NÃO PUBLICAR SEM AUTORIZAÇÃO DO DETENTOR DOS DIREITOS AUTORAIS E DE IMAGEM***
DEPOIS DO PÉ NA BUNDA Bianca Comparato e Johnny Massaro em cena de ‘Todas as Razões para Esquecer’, de Pedro Coutinho; longa está sendo rodado em São Paulo Créditos: Divulgação)

*

Olhando para dentro Os filmes “Que Horas Ela Volta?” e “Chatô” lideram as indicações ao Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, com 14 e 12 menções, respectivamente.

Olhando para dentro 2 Promovida pela Academia Brasileira de Cinema, a premiação homenageia o melhor do ano que passou. A cerimônia está marcada para 4/10, no Rio.

*

Olhando para fora O Brasil será representado por dois curtas no Festival de Nova York, que começa em 30/9: “O Sinaleiro”, de Daniel Augusto (“Não Pare na Pista”) e “A Moça que Dançou com o Diabo”, de João Paulo Miranda Maria, que foi premiado em Cannes.

*

Leia mais notas aqui.