Competição no próximo Festival de Tiradentes terá programação eclética

Por guilherme genestreti

Promete ser bem eclética a programação da mostra Aurora, sessão competitiva voltada à produção de diretores em seus primeiros longas-metragens. Duas ficções e cinco documentários competem pelo prêmio Barroco.

“São filmes com diferentes propostas, mas um ponto de comum”, diz o curador da mostra, Cléber Eduardo. “Todos eles apresentam no olhar certa reação a diferentes situações do mudo contemporâneo.”

A 19ª Mostra de Tiradentes, mais importante vitrine do cinema autoral brasileiro, vai do dia 22 a 30 de janeiro.

Cena de “Filme de Aborto”, do diretor Lincoln Péricles

Confira a seguir os filmes selecionados:

“Animal Político”, de Tião (Pernambuco). Premiado em Cannes por seu curta “Sem Coração”, o diretor agora se volta para discutir a contemporaneidade sob o olhar de uma vaca que vaga à procura de iluminação.

“Aracati”, de Aline Portugal e Julia de Simone (Rio de Janeiro). Realizado ao longo de seis anos, o documentário acompanha a trajetória do vento Aracati pelo interior do Ceará e como ele influencia na paisagem humana do local.

“Banco Imobiliário”, de Miguel Antunes Ramos (São Paulo). O documentário discute especulação imobiliária na capital paulista tendo como premissa o próprio mercado imobiliário.

“Filme de Aborto”, de Lincoln Péricles (São Paulo). Como sugere o título, trata de aborto –mas de aborto num sentido amplo. O fio condutor é um casal que lida com uma gravidez impossível.

“Índios Zoró –Antes, Hoje e Agora!?“, de Luiz Paulino dos Santos (Pernambuco). Trinta anos após ter feito um curta sobre a tribo, o documentarista retorna a ela e encontra seus membros evangelizados.

“Jovens Infelizes ou Um Homem que Grita não É um Urso que Dança”, de Thiago B. Mendonça (São Paulo). A segunda ficção em competição promete contundência já em sua sinopse: “Pra começar de novo é preciso destruir”.

“Taego Awa”, de Marcela Borela e Henrique Borela (Goiás). Os dois diretores, que são irmãos, resolvem ir ao encontro dos índios Ãwa e mostrar a eles imagens feitas em VHS, encontradas ao acaso, que mostram a tribo.