‘Marília Pêra foi crucial para mim’, diz o diretor Hector Babenco

Por guilherme genestreti

A atriz Marília Pêra, que morreu na manhã deste sábado, deixou como legado uma das cenas mais conhecidas da história do cinema nacional: o trecho em que ela amamenta o protagonista de “Pixote: A Lei do Mais Fraco” (1980), de Hector Babenco.

Tudo foi criado no calor do set, segundo disse Babenco ao “Sem Legenda”. Confira a seguir o depoimento dele:

“O legado de Marília é o que ela deixou na nossa memória. Marília foi muito crucial para mim; para ela, eu talvez não tenha sido tanto. Aquela famosa cena em ‘Pixote’, na qual ela amamentava o menino no colo dela, foi inventada na hora, não estava no roteiro. Foram eles que criaram aquilo tudo.”

Marília Pêra e Fernando Ramos da Silva em “Pixote” (1980)

Em “Pixote”, Marília interpreta Sueli, a prostituta barata da noite paulistana que acolhe o protagonista, um garoto fugido da Febem.

ATRIZ VISCERAL

“Tá pensando que isso aqui é o quê? Um bife?”

Marília passou a carreira sendo comparada a outra grande dama da atuação, Fernanda Montenegro. O lugar-comum cravava: Fernanda é mais intensa, visceral; Marília é mais técnica, aparelhada.

Não era bem assim, como fica claro na cena a seguir, em que ela admite que acabou de fazer um aborto a Pixote: