‘Getúlio’ disputa em 14 categorias do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro

Por guilherme genestreti

A cinebiografia “Getúlio”, dirigida por João Jardim, é a recordista em indicações ao Grande Prêmio do Cinema Brasileiro: são 14, incluindo a de melhor longa de ficção.

O filme sobre Getúlio Vargas também concorre em quesitos como direção, ator (Tony Ramos e Alexandre Borges) e atriz (Drica Moraes).

Em sua 14ª edição, a premiação, tida como a mais importante do meio, é promovida pela Academia Brasileira de Cinema, formada por membros do setor, e homenageia o melhor do ano anterior.

Cinema: o ator Tony Ramos, que interpreta Getúlio Vargas, em cena do filme "Getúlio", de João Jardim. O filme reconstrói crise que levou o ex-presidente da república a se suicidar. (Foto: Ana Stewart/Divulgação) ***DIREITOS RESERVADOS. NÃO PUBLICAR SEM AUTORIZAÇÃO DO DETENTOR DOS DIREITOS AUTORAIS E DE IMAGEM***
O ator Tony Ramos como Getúlio Vargas, em cena do filme “Getúlio”, de João Jardim. (Foto: Ana Stewart/Divulgação)

O público pode votar nas categorias de melhor longa de ficção nacional, estrangeiro e de documentário (pelo site academiabrasileiradecinema.com.br). A premiação acontece em 1º/9, no Rio de Janeiro.

O suspense “O Lobo Atrás da Porta”, de Fernando Coimbra, tem 12 indicações. Disputa o prêmio de melhor filme com “Getúlio”, o biográfico “Tim Maia”, de Mauro Lima, o drama “Praia do Futuro”, de Karim Aïnouz, e o fenômeno juvenil “Hoje Eu Quero Voltar Sozinho”, de Daniel Ribeiro.

Este é o segundo ano em que a premiação inclui a categoria de melhor longa de comédia, gênero campeão de bilheteria entre as produções nacionais. “Confissões de Adolescente”, “O Candidato Honesto”, “Os Homens São de Marte…”, “Julio Sumiu” e “S.O.S. Mulheres ao Mar” competem nesse quesito.

O diretor homenageado pelo conjunto da obra nesta edição é Roberto Farias, de “O Assalto ao Trem Pagador” (1962).

Confira a lista completa de indicados, que o Sem Legenda adianta:

Melhor longa de ficção
“Getúlio”, de João Jardim
“Hoje Eu Quero Voltar Sozinho”, de Daniel Ribeiro
“O Lobo Atrás da Porta”, de Fernando Coimbra
“Praia do Futuro”, de Karim Aïnouz
“Tim Maia”, de Mauro Lima

Melhor documentário
“A Farra do Circo”, de Roberto Berliner e Pedro Bronz
“Brincante”, de Walter Carvalho
“Dominguinhos”, de Eduardo Nazarian, Joaquim Castro e Mariana Aydar
“Olho Nu”, de Joel Pizzini
“Tim Lopes: História de Arcanjo”, de Guilherme Azevedo

Melhor direção
Carolina Jabor (“Boa Sorte”)
Fernando Coimbra (“O Lobo Atrás da Porta”)
João Jardim (“Getúlio”)
Karim Aïnouz (“Praia do Futuro”)

Melhor atriz
Bianca Comparato (“Irmã Dulce”)
Deborah Secco (“Boa Sorte”)
Drica Moraes (“Getúlio”)
Fabiula Nascimento (“O Lobo Atrás da Porta”)
Leandra Leal (“O Lobo Atrás da Porta”)

A atriz Deborah Secco em cena de "Boa Sorte", de Carolina Jabor ***DIREITOS RESERVADOS. NÃO PUBLICAR SEM AUTORIZAÇÃO DO DETENTOR DOS DIREITOS AUTORAIS E DE IMAGEM***
A atriz Deborah Secco em cena de “Boa Sorte”, de Carolina Jabor. Créditos: Divulgação

Melhor ator
Alexandre Borges (“Getúlio”)
Babu Santana (“Tim Maia”)
Matheus Nachtergaele (“Trinta”)
Milhem Cortaz (“O Lobo Atrás da Porta”)
Tony Ramos (“Getúlio”)

Melhor atriz coadjuvante
Alice Braga (“Os Amigos”)
Fabíula Nascimento (“Não Pare na Pista”)
Gloria Pires (“Irmã Dulce”)
Thalita Carauta (“O Lobo Atrás da Porta”)
Zezé Polessa (“Irmã Dulce”)

Melhor ator coadjuvante
Adriano Garib (“Getúlio”)
Antônio Fagundes (“Alemão”)
Babu Santana (“Julio Sumiu”)
Cauã Reymond (“Alemão”)
Cauã Reymond (“Tim Maia”)
Jesuíta Barbosa (“Praia do Futuro”)
José Wilker (“Isolados”)

Melhor direção de fotografia
“Trash: A Esperança Vem do Lixo”
“Praia do Futuro”
“O Lobo Atrás da Porta”
“Irmã Dulce”
“Getúlio”

Melhor direção de arte
“Irmã Dulce”
“Getúlio”
“O Lobo Atrás da Porta”
“Trinta”
“Tim Maia”

Melhor figurino
“Irmã Dulce”
“Getúlio”
“Praia do Futuro”
“Trinta”
“Tim Maia”

Melhor maquiagem
“Alemão”
“O Lobo Atrás da Porta”
“Irmã Dulce”
“Tim Maia”
“Boa Sorte”
“Getúlio”

Melhor efeito visual
“Trash: A Esperança Vem do Lixo”
“Rio, Eu Te Amo”
“Tim Maia”
“Irmã Dulce”
“Alemão”

Melhor roteiro original
“O Menino e o Mundo”
“Irmã Dulce”
“Hoje Eu Quero Voltar Sozinho”
“O Lobo Atrás da Porta”
“Getúlio”

Melhor roteiro adaptado
“O Menino no Espelho”
“Boa Sorte”
“Confissões de Adolescente”
“Tim Maia”
“Mão na Luva”

Melhor montagem em ficção
“Hoje Eu Quero Voltar Sozinho”
“Praia do Futuro”
“Getúlio”
“O Lobo Atrás da Porta”
“Boa Sorte”

Créditos: Divulgação    Legenda: Leandra Leal interpreta Rosa, uma mulher que desenvolve uma relação doentia com o amante, Bernardo (Milhem Cortaz, ao fundo), no filme "O Lobo Atrás da Porta", de Fernando Coimbra ***DIREITOS RESERVADOS. NÃO PUBLICAR SEM AUTORIZAÇÃO DO DETENTOR DOS DIREITOS AUTORAIS E DE IMAGEM***
Leandra Leal e Milhem Cortaz no filme “O Lobo Atrás da Porta”, de Fernando Coimbra. Créditos: Divulgação

Melhor montagem em documentário
“Mercado de Notícias”
“Tim Lopes: História de Arcanjo”
“A Farra do Circo”
“Brincante”
“Dominguinhos”

Melhor som
“Praia do Futuro”
“Alemão”
“Tim Maia”
“Getúlio”
“O Lobo Atrás da Porta”

Melhor trilha sonora
“Copa de Elite”
“Tim Maia”
“Os Amigos”
“Dominguinhos”
“A Farra do Circo”

Melhor trilha sonora original
“Trinta”
“Brincante”
“Trash: A Esperança Vem do Lixo”
“Irmã Dulce”
“Getúlio”

Melhor longa de comédia
“Confissões de Adolescente”, de Daniel Filho e Cris D’amato
“O Candidato Honesto”, de Roberto Santucci
“Os Homens São de Maarte….”, de Marcus Baldini
“Julio Sumiu”, de Roberto Berliner
“S.O.S. Mulheres ao Mar”, de Cris D’Amato

Melhor Animação
“As Aventuras do Avião Vermelho”, de Frederico Pinto e José Maia
“O Menino e o Mundo”, de Alê Abreu

Melhor longa infantil
“As Aventuras do Avião Vermelho”, de Frederico Pinto e José Maia
“O Menino e o Mundo”, de Alê Abreu
“O Menino no Espelho”, de Guilherme Fiúza Zenha
“O Segredo dos Diamantes”, de Helvécio Ratton
“Os Caras de Pau”, de Felipe Joffily

Melhor curta de ficção
“A Era de Ouro”, de Leonardo Mouramateus e Miguel Antunes Ramos
“Nua Por Dentro do Couro”, de Lucas Sá
“O Caminhão do Meu Pai”, de Maurício Osaki
“O Filme de Carlinhos”, de Henrique Filho
“Voltando pra Casa”, de Thiago Kistenmaker

Melhor curta documental
“Do Petróleo e do Cinema”, de Artêmio Macedo
“Efeito Casimiro”, de Clarice Saliby
“O Canto da Lona”, de Thiago Mendonça
“Se Essa Lua Fosse Minha”, de Larissa Lewandoski
“Sioma, o Papel da Fotografia”, de Eneida Serrano e Karine Emerich

Melhor curta de animação
“A Pequena Vendedora de Fósforo”, de Kyoko Yamashita
“Edifício Tatuapé Mahal”, de Carolina Markowicz e Fernanda Salloum
“Guida”, de Rosana Urbes
“Miroca e seu Cuco Caduco”, de Diego Lopes
“Viagem na Chuva”, de Wesley Rodrigues

Melhor longa estrangeiro
“Boyhood”, de Richard Linklater
“Clube de Compras Dallas”, de Jean-Marc Vallé
“O Grande Hotel Budapeste”, de Wes Anderson
“O Lobo de Wall Street”, de Martin Scorsese
“Relatos Selvagens”, de Damián Szifrón